Letras Português/Inglês

Modalidade: Licenciatura
Formação: Licenciatura em Letras
Nº. de Vagas anuais: 100
Turno de funcionamento: Noturno
Tempo de duração: 3 anos (6 períodos)
Regime de matrícula: Semestral
Ato Regulatório: Portaria de Renovação de Reconhecimento nº. 1.092, de 30 de dezembro de 2015
Carga horária total: 3600 horas
Limite mínimo de integralização: 8 semestres
Limite máximo de integralização: 12 semestres
Mensalidade: R$ 400,00* – Valor a partir de Janeiro/2020

*Valor com desconto para pagamento até o dia 15 do mês seguinte.

COORDENADOR

PROF. HEBER JUNIO PEREIRA BRASÃO

Formação:

  • Graduação em Letras pela Fundação Carmelitana Mário Palmério – FUCAMP (2003);
  • Graduação em Filosofia pela Faculdade Entre Rios do Piauí – FAERPI (2014);
  • Graduação em Sociologia pela Universidade Paulista – UNIP (2015);
  • Especialização em Inspeção e Supervisão Escolar pela Fundação Carmelitana Mário Palmério – FUCAMP (2006);
  • Especialização em Linguística e Língua Portuguesa pela Fundação Carmelitana Mário Palmério – FUCAMP (2008);
  • Mestrado em Educação pela Universidade de Uberaba – UNIUBE (2013).

Currículo Lattes:

GRADE CURRICULAR

DOCENTES DO CURSO

DOCENTETITULAÇÃOCURRÍCULO LATTES
Bárbara Pereira de Mello NunesMestrehttp://lattes.cnpq.br/5542649519148474
Conceição Aparecida Alves PaulinoMestrehttp://lattes.cnpq.br/9481160186329358
Danilo Rischiteli BragançaMestrehttp://lattes.cnpq.br/2097077493241098
Deyse Souza AlvesEspecialistahttp://lattes.cnpq.br/4522799422434269
Dinorá Fátima Gonçalves MoraesMestrehttp://lattes.cnpq.br/8775372878725563
Eloize Lemos DavidMestrehttp://lattes.cnpq.br/0981855858583092
Gustavo Araújo BatistaDoutorhttp://lattes.cnpq.br/5216094907418949
Kelma Gomes Mendonça GhelliDoutorahttp://lattes.cnpq.br/1932114816846374
Kênia Mendonça DinizDoutorahttp://lattes.cnpq.br/8578502344499851
Roselaine das ChagasDoutorahttp://lattes.cnpq.br/3773232222622405
Suze Martins Franco MonteiroEspecialistahttp://lattes.cnpq.br/0585207587893810
Tânia Nunes DaviDoutorahttp://lattes.cnpq.br/9967544027647262

SOBRE O CURSO

MERCADO DE TRABALHO

O licenciado em Letras está habilitado a atuar em um campo de trabalho que hoje se apresenta promissor, considerando que a linguagem, verbal e não-verbal, constitui e organiza todas as esferas das sociedades letradas. Dentre as possibilidades de atuação profissional, destacamos:

  • No ensino fundamental e médio, nas disciplinas Língua Portuguesa e Língua Inglesa, e suas respectivas literaturas;
  • Em curso instrumental de Língua Inglesa;
  • Em curso de Português como 2ª língua (para estrangeiros);
  • Em cursos à distância (pela Internet, por exemplo) como professor / tutor de Língua Portuguesa e Inglesa;
  • Revisão de textos, em Língua Inglesa e Portuguesa;
  • Tradução de textos de Língua Inglesa para Portuguesa e vice-versa;
  • Pesquisa e produção de material de referência, antologias, enciclopédias, coletâneas, dicionários, manuais didáticos, publicações temáticas, etc.;
  • Secretariado executivo monolíngue ou bilíngue;
  • Elaboração de videoconferências sobre linguagem, língua (Portuguesa e Inglesa) e literatura (de línguas Portuguesa e Inglesa);
  • Correção de Redações de vestibulares e concursos;
  • Consultoria e assessoria na área de linguagem (Língua Portuguesa e Inglesa) e literaturas (de Língua Inglesa e Portuguesa) para empresas públicas e privadas, embaixadas, agentes de mercados internacionais e outros;
  • Gerenciamento de livrarias especializadas na área;
  • Co-produção de programas de rádio e TV, de filmes, vídeos e cd-rom’s.
FORMAS DE ACESSO AO CURSO
  • Processo Seletivo de regime semestral;
  • Vestibular Agendado;
  • Transferência externa;
  • Portador de Diploma de Graduação;
  • Nota do ENEM para vagas remanescentes;
  • PROUNI / FIES.
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

As formas de avaliação são normatizadas pelo Regimento Interno da Instituição:

CAPÍTULO VI
DO REGIME DE PROMOÇÃO
SEÇÃO I
DAS AVALIAÇÕES E DO DESEMPENHO ESCOLAR

Art. 128. Para ser aprovado, o aluno, além de satisfazer às demais exigências legais e regimentais, deverá se submeter às avaliações nas épocas devidas.

Art. 129. O desempenho escolar é aferido, através de acompanhamento contínuo dos alunos e dos resultados por ele obtidos nas avaliações e trabalhos escolares.

§1º Compete ao professor da disciplina realizar as avaliações escolares sob a forma que estabelecer, respeitando os termos em estudo, bem como efetivar a avaliação nos termos da regulamentação interna.

§2º As avaliações escolares, no mínimo de duas (2) por semestre letivo, serão realizadas em datas fixadas em calendário escolar;

Art. 130. À verificação de aproveitamento será atribuída uma nota, expressa em grau numérico de 0 (zero) a 100 (cem) pontos, que deverá ser transcrita até a primeira decimal sem arredondamento.

Parágrafo único: Atribuir-se a nota 0 (zero) ao aluno que deixar de submeter-se às avaliações nas datas fixadas, bem como ao que nelas se utilizar de meios fraudulentos.

Art. 131. Ao aluno que deixar de comparecer à verificação de desempenho escolar, por motivo justo, na data fixada, pode ser concedida prova substitutiva, mediante requerimento, respeitando-se as datas previstas no Calendário Escolar.

§1º As avaliações substitutivas serão cobradas à parte conforme regulamento financeiro do UNIFUCAMP.

§2º Fica vedada a concessão de prova substitutiva para substituição de nota.

§3º A avaliação substitutiva aplica-se a provas realizadas no Centro Universitário UNIFUCAMP, não se aplicando a trabalhos a serem efetuados.

Art. 132. Será aprovado o aluno que tiver média igual ou superior a 60 (sessenta) pontos e será reprovado o aluno que tiver média inferior.

Art. 133. O aluno que obtiver média inferior a 60 (sessenta) pontos e, igual ou superior a 40 (quarenta) pontos, nas provas e trabalhos do período letivo, poderá se submeter a uma prova final. 

Parágrafo único: Nesta prova final o aluno para ser aprovado na disciplina deverá obter a quantidade de 60 (sessenta) pontos.  Não sendo aprovado na prova final, considerar-se-á a média maior.

Art. 134. O aluno tem o direito de solicitar a revisão de provas no prazo máximo de 48 horas da divulgação do resultado pelo professor.

Art. 135. Os alunos que tenham extraordinário aproveitamento nos estudos demonstrados por meio de provas e outros instrumentos de avaliação específicos, aplicados por banca examinadora especial, poderão ter abreviada a duração dos seus cursos, de acordo com as normas legais do sistema de ensino.

Art. 136. Caso o aluno venha a abandonar o curso, será permitida a sua reintegração, mediante a aprovação da Diretoria, seguida do pagamento das matrículas e mensalidades pendentes.

Art. 137. O percentual de frequência mínima às aulas e demais atividades escolares é de 75% (setenta e cinco) por cento, e se obtiver, em cada matéria, média igual ou superior a 60 (sessenta) pontos nos trabalhos e provas do período letivo, o aluno será aprovado. Diferente disso, será reprovado.

Art. 138. A frequência dos alunos às aulas e demais atividades é obrigatória, sendo vedado o abono de faltas, e esta será apurada através de Diário de Classe disponibilizado on-line pela Secretaria Geral, no início do período letivo.

§1º – Independentemente dos demais resultados obtidos, será considerado reprovado na disciplina, o aluno que não obtenha frequência de, no mínimo, 75% das aulas e demais atividades.

Art. 139. A verificação e registro de frequência é obrigação e responsabilidade do professor, e seu controle, da Secretaria Geral.

ESTÁGIO/TCC

Estágio Curricular Supervisionado

O presente projeto atende ao que determina a Resolução CNE/CP 2 (CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 2002a), que aumenta para 400 horas a carga horária a ser dedicada ao estágio curricular supervisionado de ensino, que deve ter seu início na segunda metade do curso. Desse modo, o aluno da licenciatura deverá cursar disciplinas de estágio supervisionado distribuídas em três semestres, assim que cumprir a metade da carga horária total em disciplinas. Igualmente com base na referida resolução, prevê-se a redução da carga horária do estágio, até o máximo de 200 horas, para os alunos que exerçam atividade docente regular na educação básica. Para os alunos que já tiverem uma licenciatura concluída, prevê-se também uma redução da carga horária do estágio em até o máximo de 200 horas (não cumulativa com a precedente).

O estágio supervisionado constitui uma das modalidades de prática a ser realizada diretamente em unidades escolares dos sistemas de ensino, “sob a forma de uma ação desenvolvida enquanto vivência profissional prolongada, sistemática, intencional [e] acompanhada” (Fórum de Pró-Reitores de Graduação das Universidades Brasileiras, 2002, p.23). Ele objetiva um conhecimento do real em situação de trabalho. Revela-se como espaço de construção do professor como sujeito que tem domínio de sua própria prática e de seu papel social.

Concebe-se o estágio, entretanto, não somente como observação e regência. São contempladas as várias facetas da formação profissional, conforme propõe Paiva (2003):

  1. observação de reuniões de pais e professores, Conselho de Classe, exame de regulamentos e estatutos da escola escolhida, entrevistas com coordenadores, diretores, orientadores, supervisores e professores, análise dos projetos pedagógicos e demais atividades […];
  2. […] preparação e pilotagem de material didático;
  3. observação das aulas e engajamento em atividades extracurriculares […] classes de aceleração, oficina de redação, clubes de conversação para línguas estrangeiras, auxílio na avaliação de alunos […];
  4. regência de algumas aulas;
  5. engajamento em projetos de pesquisas no contexto de estágio […].

Conforme a legislação vigente, podem complementar a formação docente “as tecnologias da informação, incluídos o computador e o vídeo, narrativas orais e escritas de professores, produções de alunos, situações simuladoras e estudos de caso”, que se encontram em consonância com um dos princípios norteadores para a formação do professor: “a aprendizagem deverá ser orientada pelo princípio metodológico geral, que pode ser traduzido pela ação-reflexão-ação e que aponta a resolução de situações-problema como uma das estratégias didáticas privilegiadas” (apud Paiva, s/d).

O estágio supervisionado consiste em ação desenvolvida na interface do projeto político-pedagógico da unidade acadêmica e da escola em que é realizado.

Trabalho de Conclusão de Curso

O trabalho de conclusão de curso é um dos requisitos básicos e obrigatórios para obtenção do grau de licenciado.

O trabalho consiste numa atividade acadêmica de pesquisa e sistematização do conhecimento sobre um objeto de estudo pertinente à profissão do licenciado, e à realidade social em suas diferentes expressões, desenvolvida mediante controle, orientação e a avaliação docente cuja exigência é um requisito essencial e obrigatório para a obtenção do diploma de licenciado em Letras.

As áreas de conhecimento para elaboração do TCC, no curso de Licenciatura em Letras definidas pelo colegiado de curso são:

  • Estudos literários.
  • Estudos linguísticos.
  • Metodologias da Língua Portuguesa e Língua Inglesa.

O TCC no curso de Letras / Inglês – Português e respectivas literaturas, consiste num “Projeto de Pesquisa”, a ser elaborado individualmente.

São objetivos gerais do trabalho de conclusão de curso:

  • Sistematizar o conhecimento adquirido no decorrer do curso.
  • Contribuir para o aprofundamento de conhecimentos referentes a aspectos da realidade social e/ou âmbito da ação profissional.
  • Favorecer a síntese dos conteúdos estudados, que propicie o entendimento da profissão inserida na dinâmica da sociedade.

Os professores orientadores deverão ser constituídos por docentes efetivos da faculdade e, preferencialmente, do curso de Letras.

ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Estão presentes no curso e são aquelas que contribuem para a formação complementar profissional e cidadã do aluno, dada a sua flexibilidade e variedade de formas de oferta. São consideradas atividades complementares:

  • Participação nos projetos de Iniciação Científica;
  • Projetos de Extensão;
  • Monitorias;
  • Participação em eventos de caráter científico, cultural/profissional, desportivo;
  • Congressos, Seminários, Workshops, oficinas, palestras, feiras, visitas/viagens técnicas e orientadas;
  • Cursos de língua estrangeira;
  • Trabalhos voluntários etc., e outros de acordo com o Regulamento de Atividades Complementares.

Informações atualizadas em 05/03/2020